Tags

, , , , , , , , ,

Bons ou ruins, normais ou bizarros, os costumes que encontramos em outros países podem nos surpreender, nos irritar, nos fazer abrir os olhos para outras coisas, etc. Mas isto é uma das coisas mais legais de se morar no exterior. Saber como as pessoas vivem, se comportam, interagem e por aí vai. Cada dia é uma nova descoberta.

Estou inaugurando uma nova categoria de post: “Curiosidades: Costumes e Manias”. Hoje vou falar dos primeiros costumes que a gente nota logo nas primeiras semanas morando aqui. Então vamos lá!

Espirro: no Brasil, normalmente se coloca a mão na frente do nariz na hora de espirrar para poupar as outras pessoas de receberem seus germes e vírus. Aqui felizmente também existe este cuidado, porém o bloqueio do espirro não é com a mão, mas com o cotovelo. O movimento é meio esquisito, é verdade, mas até que faz sentido. Afinal, de que adianta proteger um desconhecido se depois você pode passar os vírus para um amigo ao cumprimentá-lo com a mão onde você espirrou minutos antes? Bom, mas no cotovelo você sujará a roupa certo? Certo, mas a roupa depois será lavada… espera-se…

Cumprimentos: falando em cumprimentar com a mão, lembro-me de outros hábitos diferentes dos canadenses ao cumprimentar uma pessoa. Quando não se conhece a pessoa, sempre se cumprimenta com um aperto de mão, seja homem com homem, homem com mulher ou mulher com mulher. Até aí tudo bem. A diferença está em alguns detalhes. Reparem que normalmente não prestamos muita atenção no nome da pessoa que está sendo apresentada quando é um nome diferente ou quando muitas pessoas são apresentadas de uma vez. Segundos depois esquecemos. Aqui parece que entender e lembrar o nome da pessoa é extremamente importante, mesmo que você nunca mais a veja. Eles ficam parados, olhando na sua cara e prestando atenção no nome. Se eles não entendem, pedem para você repetir, aí eles repetem o seu nome e perguntam se a pronúncia está correta, e finalmente, pedem para você soletrar. Tudo bem, é simpática esta atenção… o estranho é que toda esta conversa se dá com as mãos apertadas. Eles só largam sua mão depois de entender seu nome! Vejam esta simulação:

** pessoas apertam as mãos e as movimentam para cima e para baixo **

– Bonjour, moi c’est Pierre. (Bom dia, eu sou Pierre)

– Salut, moi c’est Esquizofredo. (Oi, eu sou o Esquizofredo)

** momento em que as mãos param de se movimentar, mas continuam apertadas. Momento também em que o canadense arregala os olhos, abre um sorriso e te encara sem piscar **

– Comment? (Como?)

– Es-qui-zo-fre-do

– Es-qui-zo-frrrrrre-dô?

– Presque. Esquizofredo. (Quase. Esquizofredo)

– Comment ça s’épèle? (Como se soletra?)

** não se perca na imaginação. As mãos continuam apertadas. **

– E-S-Q-U-I-Z-O-F-R-E-D-O

– Ah, ok. Est-ce que c’est un prénom brésilien? (É um nome brasileiro?)

– Oui (Sim)

– OK. Enchanté.

– Enchanté. (Encantado)

** momento em que as mãos se separam e você está livre para conversar sobre outra coisa ou para cumprimentar outra pessoa. **

Pronto. Apresentação feita. Missão cumprida!

A segunda coisa estranha nos cumprimentos é você concluir a apresentação com um “enchanté” (encantado). É o equivalente ao nosso “é um prazer”. Enchanté você fala sempre, mesmo homem com homem. Acho meio estranho, mas tudo bem.

Se após a apresentação você trocar mais duas ou três palavras com a pessoa, você já virou amigo da pessoa. De forma que, se ela for uma mulher, você pode beijá-la no rosto na hora de ir embora ou na próxima vez que encontrá-la, como fazemos no Brasil. Aqui se dão 2 beijos na mulher. Até então nada de estranho… até você escolher o lado do primeiro beijo. No Brasil, a quantidade de beijos varia de acordo com a região, mas é garantido que o primeiro beijo é na bochecha direita. Aqui é na esquerda. Nas primeiras vezes, é confusão na certa!

Rendez-vous: aqui tudo precisa de rendez-vous (horário marcado). Tudo. Para falar com o gerente do banco, para ir tirar um documento num órgão público, para conhecer um apartamento em construção ou à venda, etc. Ir a algum lugar para resolver alguma coisa sem marcar rendez-vous é risco alto de perder a viagem. Até quando fui na clínica médica SEM rendez-vous, tive que marcar um rendez-vous.

Sapato dentro de casa: um costume que acho ótimo é o de tirar o sapato quando entra em casa. Seja na sua casa ou na casa de um amigo, é necessário tirar o sapato e deixá-lo junto da porta. Isto, claro, evita transportar sujeira da rua para dentro de casa e, principalmente, sujar o chão com a neve e sua amiga lama. Por isso, sempre ao lado da porta existe um capacho e um recipiente-tapete de plástico onde você coloca sua bota cheia de neve para secar. Aí você anda de meia mesmo pela casa, mesmo que seja na casa de um amigo ou desconhecido. Portanto, mais importante que um sapato bonito, é uma meia bem cuidada!

onde deixar as botas de neve

onde deixar as botas de neve

Carrinho de supermercado: esse me irrita. Eles têm o péssimo hábito de largar o carrinho do supermercado no meio do corredor. E nem se tocam que existe gente se aproximando e que eventualmente pode querer passar. Caramba, precisa ocupar o corredor inteiro?

Fila no ônibus: como já mencionei em outro post, eles têm o bom costume de aguardar o ônibus em fila, sem muvuca. Da mesma forma, quando a porta do metrô se abre, eles esperam educadamente todo mundo sair para começarem a entrar. Ponto positivo!

Convites: é muito comum convidar amigos e conhecidos para um jantar ou apenas um encontro informal em casa com alguns petiscos. A menos que seja dito o contrário, está implícito que o anfitrião oferecerá a comida e os convidados levam uma bebida, normalmente uma garrafa de vinho.

Bonjour, Hi: este já foi tema de outro post, mas vale a pena mencionar de novo. Este é típico de Montréal, a única cidade realmente bilíngue da América do Norte. Como nunca se sabe se um desconhecido fala inglês ou francês, é muito comum no comércio o cliente ser recebido com um cumprimento nas duas línguas. Aí o cliente fica à vontade para falar aquela que lhe é mais familiar. Acho que nada representa melhor a riqueza cultural de Montréal do que o famoso “Bonjour, Hi”.

 

Bom, por hoje está bom. Vou anotar mais costumes diferentes e depois faço outro post. Espero que tenham gostado!

Sigam-nos no Instagram! @canada_segundo_os_brasileiros

Au revoir!

Leia também:

Costumes e Manias 2

Costumes e Manias 3

Costumes e Manias 4

Costumes e Manias 5

Anúncios