Tags

, , , , , , , , , , ,

Meu último post sobre os correios no Canadá e a chegada do Natal me fizeram lembrar de um tema interessante. Os códigos postais no Canadá.

Basta você olhar para um endereço canadense qualquer e logo reparará num código esquisito, composto de letras e números. Este código é o CEP do tal endereço. Ao contrário da maior parte dos países, o CEP no Canadá também utiliza letras, e não somente números. Exemplo: A1B 2C3. Mas por quê?

Porque desta forma o código pode carregar muita informação em seus 6 caracteres.

Os 6 caracteres são compostos de letras e números alternadamente e divididos em 2 blocos de 3 caracteres.

O primeiro bloco é chamado de Região de Triagem de Encaminhamento. Neste bloco, existe uma letra, seguida de um número, seguido de outra letra. A primeira letra corresponde ao distrito postal. Ele é o mesmo em toda a província, com exceção de Québec e Ontario, que têm mais de um distrito postal. Por outro lado, Nunavut e os territórios do Noroeste, por terem poucos habitantes, coitados, compartilham a mesma primeira letra.

distritos postais

distritos postais

As grandes capitais, Toronto e Montréal, têm uma letra exclusiva para o distrito postal. Aqui em Montréal, é o H.

O segundo caracter indica se o endereço está numa região rural ou urbana. Se rural, ele é 0. Qualquer outro número, é área urbana.

O terceiro caracter é uma letra, mas também pode indicar uma área rural, cidade média ou grande aglomeração.

O segundo bloco de 3 caracteres indica a Unidade de Distribuição Local (UDL). Uma UDL pode ser um único endereço, um quarteirão inteiro, uma cidade pequena inteira, uma parte de uma cidade média, um grande prédio inteiro ou uma instituição, como uma universidade ou hospital.

Uma curiosidade é que o código postal neste formato foi implementado no início dos anos 1970, com o objetivo de automatizar e agilizar o sistema. Hoje, por exemplo, quando a carta chega no primeiro centro de triagem, um sistema de reconhecimento de imagens lê o código alfanumérico e o transforma em código de barras, que é colado à carta. Assim, tudo é automatizado dali para frente, até chegar às mãos do carteiro. Mas lá nos anos 70, os sindicatos não gostaram nada da idéia. E, por isso, fizeram diversas tentativas de impedir a implantação do sistema, inclusive através de um “Boicote ao Código Postal”, incentivando as pessoas a não usarem códigos postais nas suas correspondências. É claro que não deu muito certo e o código foi logo implementado com sucesso.

Talvez você ainda esteja se perguntando: mas por que o Natal te fez lembrar dos códigos postais do Canadá??

Essa resposta é bem interessante. Quando o sistema foi implementado, os funcionários dos correios em Montréal recebiam inúmeras cartas sem endereço certo. Eram as cartas endereçadas ao Papai Noel. Para não deixarem as crianças desapontadas, eles passaram a responder eles mesmos, fingindo ser o Papai Noel. O sucesso foi tamanho que a cada ano a quantidade aumentava muito. Até que em 1983 o Canada Post (correio) decidiu implementar um programa oficial de resposta de cartas enviadas ao Papai Noel. E hoje, mais de um milhão de cartas são recebidas anualmente, inclusive de fora do Canadá. E a criança recebe a resposta na língua que escreveu! E como enviar a carta para o Papai Noel? Aí vai o endereço:

SANTA CLAUS (ou PÈRE NOËL)

NORTH POLE, CANADA

E, claro, não pode faltar o CEP:

H0H 0H0

 

Papai Noel é VIP. Tem seu próprio CEP e que imita sua risada!

Feliz Natal!

Anúncios