Agora que me mudei com a Camila para Montréal, Canadá, terei que deixar o Sigam-me os Bons em stand-by. Enquanto isso, vou postando no meu novo blog: Canadá Segundo os Brasileiros!

Neste primeiro post comentarei sobre algumas coisas que só vi aqui no Canadá e outras que não existem por aqui.

Começando por coisas que não existem aqui:

1. Programas sensacionalistas na TV

Sabe o Aqui Agora, Cidade Alerta, Datena e cia? Aqui não existe isso. Todos os jornais são sérios. Podem até ser mais informais, no formato de Morning Show, mas sem notícias sensacionalistas e sem apresentadores escandalosos. Um alívio hein?

2. Mulheres peladas na TV e desrespeito às mulheres

Aqui no Canadá é inimaginável um programa no estilo Gugu, Faustão e coisas do gênero com “assistentes de palco” ou dançarinas peladas. Os programas de auditório são bem comportados. Nada de decotes monstruosos, mini-saias ou mulheres de biquíni. Isto simplesmente não existe aqui. O respeito às mulheres é levado muito a sério. Os canadenses respeitam as mulheres e acima de tudo, elas também se respeitam.

Recente pesquisa do World Economic Forum também mostrou que o Canadá está entre os 20 países de maior igualdade entre homens e mulheres (como referência, o Brasil ficou em 62o). O desemprego entre as mulheres é menor que o dos homens (7% contra 8%). Ainda, as mulheres têm nível de escolaridade superior à dos homens.

Os anúncios de emprego precisam ser descritos em ambos os gêneros (ex: precisa-se de diretor/diretora) ou então é necessário colocar uma nota do tipo “O gênero masculino utilizado no texto inclui homens e mulheres, sem discriminação e com o único objetivo de abreviar o texto.” Aliás, nunca vi tantas motoristas (mulheres) de ônibus como em Montréal! Eu quase me arriscaria a dizer que são a maioria, mas não tenho um número para comprovar. Se eu achar, escrevo um post sobre isso. 😉

3. Leite Longa-Vida

Falar de comidas brasileiras é muito manjado. É claro que não existe pão de queijo, feijoada, etc. Mas achei interessante o leite. Diferentemente do Brasil, aqui não existe leite longa-vida, daqueles que duram meses. Isto porque todo e qualquer processo de modificação ou pasteurização do leite é proibido aqui. Com isto, somente leite fresco pode ser vendido. Eles vêm em saquinho (como antigamente no Brasil), em embalagem de plástico ou Tetrapak, mas sempre fresco, com validade de poucos dias. Só o que pode ser adicionado ao leite são as vitaminas A e D.

O objetivo é que só exista no mercado leite de qualidade e procedência, que não passou por nenhum processo químico ou de pasteurização (que danifica as proteínas e gorduras que dão sabor ao leite).

Com certeza são mais saborosos e saudáveis. Porém, são mais caros do que no Brasil. 1 litro custa $1,63.

Abaixo um vídeo sobre esta questão do leite no Canadá. 

4. Delegacias de Polícia

É curioso, mas não existem delegacias de polícia em Montréal (não sei como é nas outras cidades). Todos os policiais ficam na rua: de carro, a pé ou de bicicleta. Em qualquer emergência, rapidamente chegarão várias viaturas. Provavelmente esta é uma das razões para a cidade ser super segura.

5. Rodo

Pois é, rodo. Não existe rodo aqui. Aliás, não existe ralo no banheiro ou na cozinha. Consequentemente, não se lava o banheiro, nem a cozinha. Então, pra que rodo não é? Nem pano de chão não existe. Para limpar o chão, só com esfregão ou com aquele pano que se prende numa coisa chapada, que se encaixa no cabo de vassoura. Seria isto aqui:

Crédito: e-cloth

Crédito: e-cloth

Não acho esse treco muito bom não. Mas enfim… como dizíamos na Telefônica: “é o que temos para o jantar”.

Coisas de Canadá que não existem no Brasil:

1. Pneus de verão e de inverno

Com um clima que pode variar de um quente e abafado verão (+35C) a um polar inverno (-40C), ninguém poderia esperar que a vida fosse igual em todas as estações do ano, como normalmente acontece no Brasil. E uma das coisas que evidenciam bem esta adaptação conforme a estação é o pneu do carro. Aqui existe o pneu de verão (pneu normal, como no Brasil) e o pneu de inverno (que tem ranhuras maiores, como se fosse de um jipe). Todo mundo precisa ter 2 jogos de pneus. No inverno é obrigatório o uso de pneu de inverno.

2. Garagem Montável

Chamadas por aqui de Abris Démontables (abrigos desmontáveis) ou Portable Shelters, estas cabanas são na verdade uma garagem montável e desmontável que se utiliza no inverno. São muito comuns. Quase todo mundo tem, pois elas evitam que você precise tirar a neve do carro na hora de sair de casa. Ou ainda, se sua garagem fica numa rampa, a cobertura vai evitar que o carro patine na hora de sair.

Ué, mas eles colocam mesmo em casas que têm garagem fechada?

Sim, pois as garagens servem para as mais variadas finalidades MENOS para guardar o carro. Ficam cheias de tranqueiras. Aí quem paga o pato é o carro, que tem que ficar do lado de fora.

Como não são as coisas mais bonitas do mundo, esses abrigos só podem ser montados de novembro a março. Senão você toma uma bela multa.

Crédito: souttonquebec.com

Crédito: souttonquebec.com

Crédito: costco.ca

Crédito: costco.ca

3. Frutas etiquetadas

Todas as frutas (e ovos também) no Canadá precisam indicar a procedência e o produtor. Então todos vêm com etiquetas do país de origem e muitas vezes o logotipo do produtor. No caso dos ovos, precisam ainda indicar o lote, código do produtor e data. Cada ovo precisa ter esta inscrição.

Banana de Honduras

Banana de Honduras

Kiwi da Nova Zelândia

Kiwi da Nova Zelândia

Ovos marcados

Ovos marcados

4. Poutine

A culinária canadense não é nenhuma maravilha. Na verdade, não existe nada muito típico daqui. A alimentação é muito parecida com a americana. Porém alguma coisa típica tem que existir. E isto tem nome: se chama Poutine.

É um prato criado aqui no Québec, mas popular em todo o Canadá. Trata-se de uma porção de batatas fritas cobertas com um molho de carne e uma espécie de queijo coalho. É muito bom! Mas é uma explosão de calorias, claro.

Crédito: midnightpoutine.ca

Crédito: midnightpoutine.ca

5. “Bonjour Hi”

Esta história de que o Canadá é um país bilíngue, é parcialmente verdadeira. De fato, desde 1969 o país possui 2 línguas oficiais: inglês e francês. Porém não é todo mundo que fala as duas línguas. O francês é falado basicamente em 2 províncias: Québec, onde 95% da população fala francês (ou como primeira ou como segunda língua) e New Brunswick, com 30% da população francofônica. As demais províncias são majoritariamente anglofônicas. Mas apesar de Québec ser uma província francofônica, que faz questão de forçar a sobrevivência do francês, é impossível escapar do inglês, a língua principal do continente norte-americano e a língua oficial do turismo.

Por isto, por uma questão de sobrevivência no mundo globalizado, todo mundo aqui fala inglês também. Então sempre que você entra numa loja, por exemplo, você é recebido com um “Bonjour Hi”, que é uma forma de resumir “Bom dia, posso te atender em dois idiomas. Fique à vontade para escolher o de sua preferência.” E conforme a língua que você escolher, a pessoa te atenderá naquele idioma.

E as pessoas realmente são bilíngues aqui. Da motorista de ônibus ao caixa do supermercado. Do gerente do banco ao faxineiro do metrô. Isto é bem legal. Os próprios montrealenses, conversando entre si, misturam tudo. É normal uma parte da frase ser em francês e outra em inglês. Ou palavras em inglês perdidas em sentenças em francês. Ou ainda, numa roda de pessoas, se uma delas não fala francês, todos conversam então em inglês para que a pessoa não se sinta excluída do grupo.

Mas se você quer deixar um québecois feliz, tente falar francês. Eles ficarão pacientemente ouvindo você construir a frase. E ficarão muito felizes de ver um estrangeiro tentando falar francês. (Até porque o francês daqui é bem diferente do da França, mas isto fica para outro post)

Montréal é a cidade canadense onde mais acontece esta salada de línguas. Acho isto muito legal.

Bom, espero que tenham gostado deste primeiro post!

Certamente atualizarei constantemente a lista de coisas típicas daqui e coisas que não existem aqui.

À Bientôt!

Anúncios